Projecto Vale da Sarvinda

O Projecto Vale da Sarvinda tem a missão de criar riqueza através de sistemas de produção agrícola em modo biológico, respeitando os princípios da permacultura e gerindo de forma sustentável os recursos empregues, incluindo a energia e a água.

Esse valor será obtido tendo em vista diversas actividades – agrícolas, turismo rural, actividades de ar livre, formação, saúde entre outras.

Em todas existirá o respeito absoluto pela pessoas, pelo ambiente (Terra) e com utilização sustentável dos recursos existentes.

O modelo de negócio que se irá construir terá em conta o ambiente social envolvente tentando estimulá-lo, integrando-o no próprio projecto – seja através da criação de emprego, criação de novas valências e serviços na região ou da educação ambiental. Queremos sensibilizar o meio envolvente para a descoberta de práticas sustentáveis a todos os níveis de actividade.

Queremos no fundo fechar ciclos – conseguir autonomia financeira, autonomia alimentar, gerar mais energia do que aquela que se consumir, tratar resíduos produzidos, no fundo, encontrar soluções nos problemas -, e mostrar que a sustentabilidade não é apenas uma palavra mas a realidade necessária e possível.

Hectares
Culturas
Rio
Anos

1. Este projecto é um negócio com o objectivo de distribuir dividendos pelos seus participantes.

2. Aplicação do princípios da permacultura  – cuidar da terra, cuidar das pessoas e utilizar os recursos existentes de forma responsável – com Certificação biológica: agrícola, construção e de todo o espaço envolvente.

3. Não utilização de produtos químicos de síntese: agrícolas, higiene pessoal, limpeza.

4. Diversificação culturas: negócio; com vista à auto-suficiência.

5. Santuários de zonas selvagens – conceito de zona 5  em permacultura.

6. Espaço reservados para vegan e macrobióticos: turismo, saúde, formação e actividades.

7. Não comercialização de animais sempre que implique morte – o que exclui por exemplo apicultura, joaninhas e minhocas.

8. Função social: sempre que haja distribuição de dividendos pelos cooperantes atribuição de % para função social.

9. Integração com a comunidade: trocas de bens ou serviços.

10. Cada cooperante deverá contribuir com um nível de trabalho mínimo para o projecto de forma a poder usufruir da distribuição de dividendos quando exista.

 

Encaramos o Ambiente como uma oportunidade.

Queremos desenvolver actividades comerciais sustentáveis, assim como resolver alguns «problemas» como o tratamento de esgotos do local.

Acima de tudo fazer, e mostrar, o que entendemos por Educação Ambiental. O próprio espaço será um exemplo disso mesmo:

– Actividades de ar livre em comunhão com a Natureza

– Aumento de nichos ecológicos em coordenação com o PNTI, de forma a melhorar condições do ecossistema

– Cultivo sem químicos

– Tratamento de todos os resíduos produzidos

– Alternativas energéticas naturais